A Terra É Propriedade Do Estado Mas Mesmo Assim Os Cidadãos Vendem Entre Si A Preços Estupradores

 

 

Escrito por: Elves Abel Mucachua

 

Salários magros e os terrenos caros é o problema e preocupação actual dos jovens em Moçambique. Que para piorar as coisas, o emprego também deve ser pago e quem não tiver sopinha não terá emprego aqui na pérola do Índico.

 

 A província de Maputo e a própria cidade são acolhedores de pessoas que vêm das províncias em busca de melhores condições de vida, e aqui na capital para ter um terreno nos dias actuais é um problema muito serio.

Apesar de a terra ser uma propriedade do Estado Moçambicano, as pessoas vendem-se terrenos entre a preços estupradores, pois quem ganha 5 mil meticais mensalmente, para obter um terreno vai ter que trabalhar muitos anos para obter um espaço de 40 metros por 30 metros que sai a preço de 320 mil meticais na zona circular e uns 15 metros por 20 metros sai a 120 mil meticais. .

 

Neste caso vergonhoso para o dono da terra que é o Estado Moçambicano, devia controlar este cenário, pois na capital pelo que tudo indica, os terrenos são para pessoas que têm um poder financeiro muito elevado e um cidadão comum para ter um terreno é um desafio e bicho de 7 cabeças. E certamente os preços são estupradores e não são para pessoas da baixa renda.

 

 Saindo da província de Maputo, nas províncias os terrenos são muito baratos.


Publicar um comentário

0 Comentários